29/04/2012
Lançada nova estratégia Amamenta e Alimenta Brasil

A Nova Ação do Ministério da Saúde, lançada durante o Congresso Mundial de Alimentação e Nutrição em Saúde Coletiva – World Nutrition Rio 2012 que ocorre na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

O Ministério da Saúde lançou no último sábado (28) a Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil, que reforça e incentiva a promoção do aleitamento materno e da alimentação saudável para crianças menores de dois anos no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). A ação está focada na qualificação do processo de trabalho dos profissionais da atenção básica resultando no fortalecimento das ações de promoção da alimentação saudável para esse público. Espera-se que essa ação gere impactos positivos como o aumento da prevalência do aleitamento materno e a melhora dos indicadores de alimentação e nutrição em crianças nessa idade.
Presentes no lançamento da Estratégia o Coordenador A Área Técnica de Saúde da Criança e Aleitamento Materno (DAPES/ SAS/ MS) Paulo Bonilha e a Coodenadora-Geral de Alimentação e Nutrição (DAB/ SAS/ MS)Patricia Jaime. Para a Coordenadora da CGAN, “A união das duas estratégias vem para fortalecer as ações de cuidado para as crianças menores de dois anos, reforçando a importância do aleitamento materno ligando-o as orientações da alimentação complementar saudável”.

Inserida na Rede Cegonha, a nova estratégia é resultado da união das ações da Rede Amamenta Brasil e a Estratégia Nacional de Promoção da Alimentação Complementar Saudável (ENPACS). O Ministério da Saúde vai promover cerca de 50 oficinas de formação de novos tutores até o final de 2013, além dessas oficinas os estados e municípios que forem capacitados para a ação multiplicam a oficina para envolver todos os municípios e por consequência todas as Unidades Básicas de Saúde. O coordenador da Saúde da criança reforçou em sua fala a importância das ações com foco no desenvolvimento integral das crianças, principalmente entre as menores de dois anos de idade.

A proposta de integração surgiu de demandas dos próprios profissionais nos estados e municípios em trabalhar, ao mesmo tempo, aleitamento materno e a alimentação complementar, já que as duas estratégias previam as mesmas ações e atingiam o mesmo público alvo: profissionais de UBS, mães, crianças e suas famílias. A integração é o resultado do trabalho integrado de duas áreas do MS além da participação de especialistas que acompanharam o processo de implementação da Rede Amamenta Brasil e da ENPACS.

A Rede Amamenta Brasil, lançada em 2008, e a ENPACS, lançada em 2009 tinham como princípio a Educação Permanente em Saúde e se apoiavam na metodologia crítico-reflexiva para promover o aprendizado por meio de atividades participativas e lúdicas, incentivando a troca de experiência e a construção do conhecimento a partir da realidade local. Até o final de 2011, as duas estratégias formaram mais de 4000 tutores e envolveram mais de 34 mil profissionais da Atenção Básica em todo o Brasil.

As práticas alimentares inadequadas nos primeiros anos de vida estão intimamente relacionadas à morbimortalidade de crianças, representada por doenças infecciosas, afecções respiratórias, cárie dental, desnutrição, excesso de peso e carências específicas de micronutrientes como de ferro, zinco e vitamina A. Atualmente, no Brasil, 50% das crianças menores de dois anos apresentam anemia por deficiência de ferro e 20% apresentam hipovitaminose A, problemas decorrentes da alimentação inadequada. Estima-se que ações de promoção aleitamento materno e ações de promoção da alimentação complementar sejam capazes de diminuir, respectivamente, em até 13%e 6%, a ocorrência de mortes em crianças menores de 5 anos em todo o mundo.

CONGRESSO DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO - Mais de 40 países vão discutir o tema “Conhecimento, política e ação” durante o Congresso Mundial de Alimentação e Nutrição em Saúde Coletiva – World Nutrition Rio 2012. No encontro serão analisados os principais desafios das ações de alimentação e nutrição na Atenção Básica à Saúde e ajudar a construir políticas públicas de qualidade.

Alguns assuntos estão em pauta para discussão como as experiências brasileiras na alimentação e nutrição na primeira infância, o papel da nutrição na atenção primária à saúde e a importância de consumir alimentos com baixo teor de sódio.

Cerca de 1.800 pessoas estarão presente no evento dentre gestores, docentes, pesquisadores, representantes de entidades da sociedade civil organizada, profissionais e estudantes de diversos campos da alimentação e nutrição.

O evento tem o apoio do Ministério da Saúde por meio da Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição, além do governo do Rio de Janeiro, de agências governamentais e da UERJ, e conta com a parceria da Associação Brasileira de Pós Graduação em Saúde Coletiva (Abrasco) e da Associação Mundial de Nutrição em Saúde Pública (WPHNA).