Aumentar a fonte do texto Normalizar a fonte do texto Diminuir a fonte do texto   
Aumentar a fonte do texto Normalizar a fonte do texto Diminuir a fonte do texto   
  
Ministério da Saúde - MS
Secretaria de Atenção à Saúde - SAS
Departamento de Atenção Básica - DAB

 

Governo Federal intensifica combate ao Aedes

09/01/2017

Dando continuidade às ações de enfrentamento às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, o Ministério da Saúde realizou o primeiro ciclo de videoconferências de 2017 com as equipes de “Combate ao mosquito” nos estados, para dialogar sobre as atividades realizadas que serão efetivadas neste ano. As reuniões ocorrem quinzenalmente e têm como objetivo avaliar e orientar sobre as ações em curso, como a distribuição de larvicidas, o andamento das visitas domiciliares e a capacitação de agentes, por exemplo.

Além das atividades de prevenção e combate ao mosquito, as videoconferências servem para informar aos novos gestores, que estão assumindo, sobre as ações desenvolvidas pela pasta em conjunto com os estados e municípios. A Sala Nacional de Coordenação e Controle é a responsável pelas estratégias de combate ao mosquito.

Desde o lançamento da campanha nacional de combate ao Aedes, em novembro do ano passado, foi estabelecido pelo Ministério da Saúde que toda sexta-feira é dia de mobilização para eliminação de focos e possíveis criadouros de larvas. A medida visa mostrar a população a importância de manter os ambientes limpos durante todos os meses para evitar o nascimento dos mosquitos e a transmissão da dengue, Zika e chikungunya.

Campanha
Durante o verão, o governo federal tem intensificado a atuação contra o Aedes aegypti. As iniciativas incluem campanha publicitária em TV, rádio, internet e outros meios; distribuição de testes rápidos de Zika; campanhas educativas; mutirões de faxina; etc. No início de dezembro, foi realizado o dia Nacional de Combate ao Mosquito, com ações integradas e simultâneas em todas as capitais do País, em articulação com prefeituras, governos estaduais e população. Ministros de Estado, militares das Forças Armadas, agentes de saúde e de defesa civil visitaram residências, escolas, órgãos públicos, canteiros de obras e outros locais para conscientizar a população sobre a importância do engajamento de todos na luta contra o Aedes aegytpi. A campanha continua com ações locais, reforçando as medidas de prevenção e combate ao mosquito, que são permanentes e contínuas.

Com a identificação do vírus Zika no Brasil e sua associação com os casos de malformações neurológicas, no segundo semestre de 2015, o Ministério da Saúde tem tratado o tema como prioridade. O governo federal mobilizou os órgãos federais para atuar conjuntamente, além de contar com a participação dos governos estaduais e municipais. Vale ressaltar que o Brasil tem um programa permanente de prevenção e controle do mosquito, com ações compartilhadas entre União, estados e municípios, durante todo o ano.

Dados
O Brasil registrou, até 10 de dezembro, 211.770 casos prováveis de Zika, o que representa uma taxa de incidência de 103,6 casos a cada 100 mil habitantes. Foram confirmados laboratorialmente, em 2016, seis óbitos por vírus Zika no país. Em relação à dengue, foram notificados 1.487.673 casos e 906 mortes. Também entre janeiro e 10 de dezembro, o Ministério da Saúde registrou 263.598 casos prováveis de chikungunya e 159 óbitos pela doença.

Desde a identificação do vírus Zika no Brasil e sua associação com os casos de malformações neurológicas, no segundo semestre de 2015, o Ministério da Saúde tem tratado o tema como prioridade, adotando medidas emergenciais, que estão sendo colocadas em prática para intensificar as ações de combate ao mosquito. Vale ressaltar que o Brasil tem um programa permanente de prevenção e controle do Aedes aegypti, com ações compartilhadas entre União, estados e municípios, durante todo o ano.

*Da Agência Saúde.