Aumentar a fonte do texto Normalizar a fonte do texto Diminuir a fonte do texto    facebook   youtube   
Aumentar a fonte do texto Normalizar a fonte do texto Diminuir a fonte do texto   
  
Ministério da Saúde - MS
Secretaria de Atenção à Saúde - SAS
Departamento de Atenção Básica - DAB

 

Indicadores do PMAQ: resolutividade

Data de publicao: 09/10/2017


Monitoramento dos indicadores do eixo de Resolutividade reflete capacidade das equipes da AB em reconhecer as necessidades de sade da populao


A resolutividade da Atenção Básica refere-se à capacidade das equipes em reconhecer as necessidades locais de saúde e ofertar ações para supri-las. Pensando nisso, o Departamento de Atenção Básica dá continuidade à série #indicadoresdoPMAQ, desta vez tratando da importância do monitoramento do eixo “Resolutividade” dos indicadores do PMAQ.
 
Ele traz dois indicadores importantes: “Percentual de encaminhamentos para serviço especializado” e “Razão entre tratamentos concluídos e primeiras consultas odontológicas programáticas”. Aqui, o trabalho das Unidades Básicas de Saúde encontra-se em posição privilegiada em comparação a outros serviços, já que, em geral, é o primeiro local de contato do indivíduo com o sistema de saúde.
 
Saiba mais sobre a importância desses indicadores e do seu monitoramento, lembrando que o conjunto de indicadores contratualizados está vinculado ao processo de certificação no 3º ciclo do PMAQ, compondo 30% da nota final da equipe:
 
Percentual de encaminhamentos para serviço especializado
Permite verificar o nível de resolutividade na Atenção Básica, a fim de identificar a necessidade de intervenções em áreas específicas, melhorando a organização da oferta do cuidado em saúde entre os pontos da rede de atenção à saúde. Mede os encaminhamentos realizados por médicos para serviços especializados em relação aos atendimentos realizados pelo profissional médico. O aprimoramento e a utilização de protocolos clínico-terapêuticos aumentam a capacidade clínica das equipes de AB e qualificam os encaminhamentos dos usuários para a atenção especializada. O monitoramento desse indicador qualifica as práticas de microrregulação nas Unidades Básicas de Saúde, como gestão de filas próprias da UBS e dos exames e consultas descentralizados/programados para cada UBS, bem como a instituição de mecanismos de comunicação entre UBS, centrais de regulação e serviços especializados (pactuação de fluxos e protocolos, apoio matricial, etc), bem como incorporação das ferramentas de Telessaúde articulada às decisões clínicas e aos processos de regulação do acesso. O parâmetro esperado para o indicador é de 5% a 20% de encaminhamentos médicos para serviço especializado/mês.
 
 
Razão entre tratamentos concluídos e primeiras consultas odontológicas programáticas
A adesão ao tratamento odontológico pode ser determinada por fatores sociais e econômicos, pela equipe/ sistema de cuidado de saúde, pelas características da doença, pelas terapias da doença e por fatores relacionados ao paciente. O reconhecimento, por parte dos profissionais, da complexidade da relação dentista-paciente promove melhor aceitação e adesão ao tratamento e, consequentemente, maior possibilidade de sucesso. Esse indicador mede a relação dos tratamentos concluídos pelos cirurgiões-dentistas em relação às primeiras consultas odontológicas programáticas. Permite avaliar se a equipe mantém uma boa relação entre acesso (número de primeiras consultas odontológicas programáticas) e resolubilidade (número de tratamentos concluídos), ou seja, em que medida a equipe está concluindo os tratamentos iniciados. O parâmetro esperado para o indicador é 0,5 - 1,0 tratamento concluído/mês.
 
 
Leia mais:
Indicadores de desempenho do PMAQ: quais são e por que monitorá-los
 
PMAQ: Série mostra como monitoramento dos indicadores podem apoiar as equipes em seus territórios
 
Indicadores do PMAQ: eixo Coordenação do Cuidado